Novo endereço

17/01/2011

Queridos leitores que acompanham o Cru e Cozido,

o blog foi reformulado e está com nova configuração. Mais interativa e mais fácil para navegar e pesquisar os restaurantes por bairros e por cidades.

Agora sempre que quiserem acessar o blog digitem: http://www.cruecozido.com.br

Nos vemos lá.

Anúncios

Vale ou não vale?

22/10/2010

 

Levei um baita susto quando me deram a conta, 80 e poucos reais. 

Se carou ou se barato, a discussão não pode e não deve ser feita tendo como base apenas o preço cobrado. Outras variáveis como entrega do produto/serviço, qualidade dos ingredientes, qualidade do atendimento, localização e demais custos, também são responsáveis pelos números impressos naquela folhinha de papel que chega às nossas mãos. 

E dai por diante a comparação entre onde comeu e quanto gastou se torna inevitável. É claro que existem lugares em que se come absurdamente bem gastando menos e em outros em que se come mal pra caramba gastando bem mais, assim como o contrário.

Disse isso tudo para demonstrar a minha insatisfação em gastar os 80 e poucos no Celeiro. Um lugar bem localizado, com atmosfera agradável, atendimento razoável e comida média.

 

Média por que estou tratando de um lugar que cobra R$ 87, 60 o quilo e não corresponde.

Indiscutível a quantidade e variedade de saladas disponíveis que além de legumes e verduras também combinam riso, massas frias e carnes. Assim como também é impossível negar que existem boas opções de doces e sobremesas.

Agora, apenas 3 opções de pratos quentes (uma massa, um arroz e uma carne), 4 considerando os quiches e salgados? Não. E não é somente pela pouca quantidade e nem pela divergência entre opções de quentes e frios que chegam a quase 6 vezes de diferença, mas pelo paladar oferecido que não passou de médio.

E vamos considerar, mesmo que eu tenha bebido 2 sucos e repetido 1 vez como esse aí da foto, não valeu.

Simples assim, não acho que tenha entregado o que me cobrou!

www.celeiroculinaria.com.br


Onde comer pós balada # 3

20/10/2010

 

Da série: onde comer depois da balada.

Sempre que vou à cidade do Rio de Janeiro preciso ir pelo menos uma vez ao BB Lanches. Não importa a hora, pode ser pela manhã, no período da tarde ou na madrugada. Se fui ao Rio mas não ao BB, é fato que vai bater a sensação de incompleto.

O que tem de mais nessa lanchonete? Você deve estar se perguntando.

Os sucos variados e frescos, os sanduiches e os ótimos salgados já seriam justificativas mais do que suficientes. Ainda tem o clima fluminense, a atmosfera sossegada e tranquila do lugar, e a sensação relaxante de ver a vida passar pelo cruzamento da Ataulfo de Paiva com a Aristides Espínola.

No final de semana a casa funciona até as 5h e é justamente por isso que ela entra na sequência dessa série. Bombando de gente as 4h30, horário que estive por lá, com a chapa cheia de lanches e salgados recém saídos do forno como o delicioso Pastel assado de galinha (R$ 4,50). Também na versão carne.

A massa fina e suave, e o recheio farto feito com galinha desfiada no tempero certo são as características desse salgado. Muito distante do miserê em recheio encontrado por lanchonetes afora.

Além dos salgados e dos sucos feitos com frutas frescas, os mais variados sanduiches também podem ser pedidos, de chessburguer a peito de peru com queijo branco (R$ 7,50) como esse da foto.

Já experimentei vários e todos sempre muito honestos, mais próximos da fartura de ingredientes do que da miséria deles.

Se estiver caminhando pelo calçadão, dê uma esticada e vá ao BB Lanches.

BB Lanches

Aristides Espínola, 64. Leblon – Rio de Janeiro. (21) 2294-1397.

Dom a qui: 8h30 às 3h30. Sex e sáb: 8h30 às 5h.


Semana Mesa SP e Festival Mesa na Cidade

19/10/2010

 

Na próxima semana a cidade de São Paulo sediará o evento Semana Mesa São Paulo promovido pela Revista Prazeres da Mesa e Senac SP. Tendo a sustentabilidade como bandeira dessa edição, o evento vai discutir ”O que a gastronomia pode fazer pelo planeta?”

 

”Semana MESA São Paulo – A revista e o Senac São Paulo realizam juntos o maior encontro de enogastronomia das Américas. Em 2009, o evento reuniu 124 chefs nacionais e internacionais, um público aproximado de 10 mil pessoas e 82 empresas participantes – entre expositores, patrocinadores e apoiadores. O evento foi dividido em três grandes momentos: Prazeres da Mesa Ao VivoCongresso Mesa TendênciasJantar Beneficente.

Em tempos em que o planeta pede atenção, o evento  em 2010 discutirá um caminho para a gastronomia.

No ano internacional da Biodiversidade nada mais natural que discutir o papel da gastronomia e sua sustentabilidade. Essa é a grande bandeira da edição 2010 da Semana Mesa SP, que ocorrerá de 26 a 29 de outubro, organizado por Prazeres da Mesa e Senac  SP – Campus Santo Amaro. O tema é desafiador e promete boas discussões: “Sustentabilidade – O que a gastronomia pode fazer pelo planeta?”. Na programação, debates e encontros com grandes nomes da gastronomia nacional e internacional.”

Fonte: Site Semana mesa SP (www.semanamesasp.com.br)

Além do evento mãe, a Revista Prazeres da Mesa em conjunto com a Wines of Argentina – órgão que reúne as vinícolas argentinas – promove em São Paulo o Festival Mesa na Cidade de 15 a 24 de outubro.

Incentivar o consumo de vinhos argentinos é o mote desse festival que reúne 23 restaurantes paulistanos. Essas 23 casas criaram menus exclusivos para o jantar, com entrada, prato principal e sobremesa a preço promocional. E quem degustar o menu vai ter no mínimo 20% de desconto no valor original da carta. Essa é a graça da brincadeira.

Ah, cada menu terá um vinho como sugestão de harmonização, o que não exclui a possibilidade de você querer beber outro argentino que esteja no cardápio e ainda ter o desconto.

Alguns deles estão catalogados aqui no Cru e Cozido. Saiba um pouco mais da experiência em cada um deles clicando no nome do estabelecimento.

Toreto Valese:

 

Vicolo Nostro:

 

Arábia:

Os menus da Júlia Gastronomia e do Arturito são dois que me despertaram a vontade. Quem sabe vou nos 2.

A lista completa dos 23 participantes em:

Festival Mesa na Cidade


Nada mais que mediano

16/10/2010

 

É bem verdade que existiam mil outra opções e muitas delas interessantes por demais para jantar na cidade do Rio de Janeiro, mas a indecisão de onde ir e a já falta de saco de convencer os demais, cada um no seu canto,  me fez ser um ”topo qualquer coisa.”

E foi assim que acabei no restaurante da Expand de Ipanema. Sem nenhum menosprezo à casa, é bom que fique claro.

A estrutura é bem montada, a variedade de vinhos a preços de importadora também atraem e vou parar por aqui. Faltou entrosamento ao atendimento em um ambiente para menos de 30 pessoas e a comida não passou de média. Longe de ser ruim, média.

Começamos com um Carpaccio de Haddock com raspas de limão (R$35)

que em finas fatias agradou pelo frescor e pelo tempero.

E terminamos a entrada com uma Bruschetta de brie, figo, parma e mel (R$ 23).

Muito atraente mas quase impossível de ser compartilhada por mais de 2 pessoas. Fiquei pensando, se o garçom viu que o pedido era para dividir, por que não sugeriu que a bruschetta já viesse partida ou sei lá, que fossem 2.  Exagero ou não, fiquei pensativo.

Em relação aos principais, poucas boas opções saltaram pelo cardápio e a meu ver 2 delas chegaram a mesa. 

Risoto de carne seca com shitake e mango chutney (R$ 38) foi a primeira delas.

No ponto, o risoto muito bem servido sentiu falta do shitake. Nem gosto e muito menos aparição do cogumelo. 

E Gnocchi da Elci com Cavaquinha que era a minha aposta, foi o outro selecionado. 

Feito de abóbora com molho gruyere e acompanhado de cavaquinha grelhada, o gnocchi foi o melhor da noite mas longe do que eu esperava. Morno, em quantidade de peixe desproporcional à massa e sem brilho não justificou os R$ 70 cobrados.

Dessa vez paguei o preço pelo “topo qualquer coisa”, quem sabe na próxima tenha melhor sorte ou insista um pouco mais.

www.expand.com.br

Rua Barão da Torre, 358. Ipanema – RJ.

Telefone: (21) 2123 7900


O sinal da mesa livre

15/10/2010

 

Era sexta-feira na cidade maravilhosa e o relógio marcava quase 21:00. Foi nesse momento que parei em frente ao Zazá e perguntei por uma mesa para 4 lugares. Quando recebi a confirmação da última mesa disponível não tive dúvidas de que deveríamos ficar ali. Isso por que a espera seria inimiga da vontade de ficar, caso a espera existisse.

O Zazá que tem mais de 10 anos na cena carioca e agora está sob o comando do jovem e criativo chef Pablo Vidal seria e acredito que seja facilmente tachado de over pela sua decoração. De fato são muitas misturas e em grande quantidade para o pequeno espaço disponível, seja no andar inferior ou seja no superior com tatame.

A diferença é que a pintura, os quadros, os pinduricalhos, a pouca luz, as velas e a música alta simplesmente combinam com o lugar. E foi essa a sensação que tive, de que esse emaranhado de coisas é que fazem desse bistro ser o que é. Uma graça.

Os atendentes que bateram cabeça algumas vezes foram prestativos e solícitos em tirar dúvidas e indicar algumas opções como os Samosas. Pasteizinhos indianos recheados com frango orgânico, camarões, palmito fresco, coentro, hortelã, gengibre e pimenta dedo de moça. R$ 23.

Bem recheados e com bom tempero o Samosas são massudos nas extremidades.

E as Pastillas Marroquinas que são trouxinhas de frango orgânico com massala, castanhas do para e pimenta doce. Servidas com molho de iogurte com hortelã a R$ 23.

Bem interessantes visualmente não tem o gosto tão bem definido e harmonizado como o Samosa.

Quanto as opções de principais, são várias as que disputam a atenção e parecem ser tão interessantes na boca quanto na leitura.

Dessas selecionei 3 dos 4 pedidos. O primeiro e aparentemente a mais simples produção são os Camarões flambados com Risotto de Limone por R$ 53.

Uma delícia. Bem apresentado, bem servido e muito saboroso.

O segundo foi o Dourado (peixe do dia) com purê de banana da terra, palmito do frade e azeite de ervas com pimenta dedo de moça por R$ 43.

Belíssima apresentação. Único ponto foi o purê, muito doce.

E para finalizar, Shishbarak. Uma Paleta de cordeiro desossado e assado por 6 hrs com especiarias, sobre ravioli recheado de purê de aroa no molho de iogurt trufado, hortelã e amêndoas crocantes por R$ 51.

Uma paleta macia e saborosa. Já a baroa foi pouco notada no ravioli regado a um molho muito intessante.

O over nos detalhes que dão o charme a casa se somaram à grande preocupação com a montagem e apresentação dos pratos notada. Esse último, um detalhe que me chamou muita atenção no Zazá.

www.zazabistro.com.br


# 9 Dicas da semana (14/10)

14/10/2010

 

As dicas dessa semana são na verdade 1 só, a Casa Maladrino. O mote foi comer bem e gastar muuuito pouco. Assista e saiba o por que.

1. Casa Malandrino

O que comer: Conchile de Alho Poró

Onde: Rua Capitão Macedo 176 – Vila Clementino/Vila Mariana. Telefone: 5572-9954